JORNAL O POVO/28 DE JANEIRO DE 2000

ÉPOCA/JANEIRO DE 2003
10 de janeiro de 2020
JORNAL DIÁRIO DO NORDESTE / 24 DE JANEIRO DE 2000
10 de janeiro de 2020

JORNAL O POVO/28 DE JANEIRO DE 2000

A emoção do reencontro Após 25 dias fora de casa, pilotos, navegadores e mecânicos viveram ontem, no aeroporto Pinto Martins, a emoção do reencontro com familiares e amigos. Dever cumprido. Agora é só festa. 

Emoção, choro e gritos. O desembarque dos pilotos e navegadores cearenses que participaram do rali Dacar- Cairo mudou a rotina, ontem, do aeroporto Pinto Martins. Às 20h15min, Arnoldo Júnior (piloto), Rogério Farias (projetistas do carro) e Aírton Freite (mecânico) entraram na sala para entrevista coletivo enquanto no saguão os familiares estavam impacientes para rever os campeões, que viveram duas semanas de aventura no deserto. Um Troller T5 semelhante ao que competiu no rali ficou exposto no saguão do aeroporto Pinto Martins. A alegria do reencontro estava estampada no rosto de Arnoldo Júnior, 4° colocado na categoria Novatos ao lado de Galdino Gabriel: “É difícil chegar lá. Sofremos, vivemos dias e dias no deserto, mas valeu a pena”. Acostumado com as competições 4×4, o navegador Galdino Gabriel fez um bom trabalho e superou o medo 

do deserto. Ele disse que em certo momento pensou que não fossem chegar ao fim da prova, mas com força e fé terminaram a aventura sem arranhões. O piloto Roberto Macedo, em certo momento, pensou que não fosse mais voltar: “Cheguei a chorar com saudade de casa”. Após o desembarque e reencontro com os familiares, os pilotos acompanharam uma carreta com a participação de carros Troller até o Estoril, na praia de Iracema. Apesar do cansaço, os aventureiros cearenses concluíram o trajeto: “A partir de amanhã, é só descanso”. 

Rogério: Troller foi perfeito 

O empresário Rogério Farias, projetista do jipe Troller T5, acompanhou a aventura dos pilotos cearenses do rali Dacar-Cairo. Contente com o desempenho dos carros projetados no Ceará, Rogério disse que tudo saiu perfeito. Enquanto outras marcas famosas quebravam no caminho, o Troller foi resistente. A equipe cearense recebeu elogios, pois colocou três carros entre os 11 primeiros colocados. 

“É muita emoção você chegar em frente à pirâmides do Egito e saber que um carro projetado no longínquo Nordeste alcançou aquele sucesso: “O carro atingiu a sua perfeição. A satisfação é total em ser um dos participantes dessa caravana vitoriosa”. O mecânico Airton Freire disse que o único momento que preocupou foi quando cochilou na direção do caminhão de apoio. Teve apenas um torcicolo: “Foi um susto. O importante é que estamos aqui para contar a história e dividirmos a alegria com familiares e amigos”. Os carros devem chegar dentro de 14 dias e ficarão expostos na sede da Troller, em Fortaleza. (MA)